JOGADORES DO REMO VISITAM PROJETO SOCIAL DE VILA DO CONDE


JOGADORES DO REMO VISITAM PROJETO SOCIAL DE VILA DO CONDE
JOGADORES DO REMO VISITAM PROJETO SOCIAL DE VILA DO CONDE

Com a expectativa nas alturas, as 35 crianças e adolescentes que integram o projeto social Canto dos Mortiguras receberam a visita dos jogadores do Clube do Remo para uma apresentação que reuniu música e esporte ao mesmo tempo. O encontro ocorreu na manhã desta sexta-feira (11), no Centro Catequético de Vila do Conde, em Barcarena. 

Enquanto o time brincou, fez fotos e falou sobre o esporte enquanto ferramenta de inclusão e transformação social, as crianças puderam apresentar o que aprenderam durante os 90 dias de atividades do projeto: cantaram três músicas, de sucesso nacional e Internacional, com flauta doce. Até o Malino, mascote do Clube, de Camisa 33, aplaudiu a apresentação.

Integrante do Canto dos Mortiguras desde o início do projeto, o estudante Yan Costa, de 12 anos, não escondia a felicidade de estar perto do time do coração. "Nem acreditei quando vi a chegada dos jogadores", afirmou. Já a Camila Neves, também de 12 anos, torce para o time rival, mas ficou feliz de se apresentar para um público tão importante. "Eles são muito queridos por metade da população, né? Pra gente é uma grande oportunidade", ressaltou.

Para o Secretário Municipal de Juventude, Esporte e Lazer de Barcarena, Pedro de Moura Tavares, a visita do Clube ao projeto é um incentivo e tanto aos participantes. "Trazer para este espaço jovens que venceram na vida pelo esporte é ajudar com que cada criança e adolescente confie e batalhe mais pelos seus sonhos, se afastando das ruas e das companhias duvidosas. Esporte e música transformam vidas", falou. 

Djalma, lateral esquerda do Remo e natural de Barcarena, sabe bem o quanto o esporte transforma. "Quem ganha ao visitar esse projeto somos nós, porque mostra que é possível alcançarmos nossos objetivos mesmo diante das dificuldades. Nós vencemos pelo esporte; vocês irão vencer pela música", falou entusiasmado aos participantes.

O técnico do Remo, João Neto, também ressaltou a importância para a sociedade de iniciativas como o Canto. "A finalidade dos projetos sociais com crianças e adolescentes é tirá-los da rua para ocupar o tempo deles com atividades que engrandecem o ser humano. Ao ver tantos talentos, vem a certeza que o Mortigura tem cumprido com excelência sua missão", parabenizou.

O Centro Catequético passou a manhã de portas abertas para a comunidade. Muita gente queria chegar perto, fazer fotos, pedir autógrafo para os jogadores. Foi o caso do balanceiro Charles Freitas, de 29 anos. Torcedor do Remo "fanático", como ele mesmo se descreve, não dava pra perder a oportunidade de estar perto dos atletas do Clube. "Quando soube que o Remo viria, larguei tudo e corri pra cá. Até garanti uma foto com alguns jogadores", comemorou.

Iniciativa - O projeto social Canto dos Mortiguras existe há três meses e é uma homenagem a primeira tribo indígena que habitou em Barcarena. Três vezes por semana, mais de trinta crianças e adolescentes têm aula de música e participam de palestras e oficinas sobre temas relevantes, como combate ao uso de drogas e gravidez na adolescência.

Serviço – O Clube do Remo está no município desde o início da semana realizando a pré-temporada e neste sábado (12), faz um amistoso contra a seleção de Barcarena, a partir das 16h, no estádio municipal. A entrada custa 1 kg de alimento não perecível, que será doado para famílias carentes do município.