8 DE MARÇO: PREFEITURA APOSTA NO EMPODERAMENTO FEMININO


8 DE MARÇO: PREFEITURA APOSTA NO EMPODERAMENTO FEMININO
8 DE MARÇO: PREFEITURA APOSTA NO EMPODERAMENTO FEMININO

A Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, órgão responsável pelo fortalecimento de políticas públicas para as mulheres, reuniu mulheres do campo, da cidade, artesãs e beneficiárias do projeto Barca Flor, neste 8 de março, para uma maratona de serviços médicos, odontológicos, terapêuticos ocupacional, psicológico e de embelezamento, na sede da Coordenadoria. Paralelamente a coordenadora Municipal de Políticas para as Mulheres, Tânia Oliveira, esteve na Câmara Municipal, para levar informações sobre as diversas formas de violências, os direitos garantidos e a rede de proteção municipal, à todas as servidoras da casa legislativa.

O órgão destinado às mulheres, funciona desde 2014, é ligado à secretaria municipal de Assistência Social e cumpre uma vasta agenda, durante todo ano, de palestras, ações e elaboração de projetos sobre o empoderamento feminino e a conscientização da população sobre o tema.  “Observamos um aumento muito grande de feminicídio no nosso estado. Em 2017, foram 29 casos, em 2018 54, segundo uma pesquisa do Fórum de Segurança pública. Então, a nossa preocupação é entender porque isso está acontecendo e cuidar dessas mulheres, prevenindo casos assim”, comentou Tânia Oliveira.

“Me chamou a atenção a informação sobre novas leis, consequentes da Lei Maria da Penha. Esse é um assunto polêmico, mas muito importante. Muitas mulheres ainda sofrem violência por falta de conhecimento. Precisamos aprender e ser multiplicadoras”, comentou Francimeire Batista, 42 anos, servidora da Câmara.

Por conta dos dados alarmantes em todo o país, a procura pelo serviço de amparo às mulheres vítimas de violências, aumentou e a prefeitura de Barcarena tem trabalhado estrategicamente nessa luta, desde 2013, com elaboração de projetos e importantes implantações, como a própria coordenadoria, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher – Deam e também do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, órgãos importantes no combate, defesa e proteção de mulheres.

O ciclo de palestra e ações segue mais intensamente este mês, com rodas de conversa sobre a Lei Maria da Penha, palestras sobre motivação e adoecimento no trabalho, capacitação sobre notificação compulsória, discriminação racial, serviços de saúde, assistência social, beleza, entre outros, em empresas privadas e rede pública.