PROJETOS DE AGRICULTURA FAMILIAR AVANÇAM EM BARCARENA


PROJETOS DE AGRICULTURA FAMILIAR AVANÇAM EM BARCARENA
PROJETOS DE AGRICULTURA FAMILIAR AVANÇAM EM BARCARENA

Dona Regina preparou um bolo de banana com castanha-do-pará e suco natural de taperebá e de cupuaçu para servir aos técnicos da Secretaria de Agricultura de Barcarena, que visitaram nesta sexta-feira (28) o sítio Presente de Deus, localizado às margens da PA-151, na comunidade Bacharela. Os servidores foram ver o andamento do projeto de piscicultura que está sendo implantado na propriedade da família Nunes.

Seu Aldo, o dono do sítio, estava entusiasmado. Mostrou os dois tanques que estão sendo escavados por máquinas da prefeitura de Barcarena na área destinada ao projeto. Eles vão medir 20 m de largura por 35 de comprimento. Depois de prontos, os tanques serão usados para criar tambaqui. A estimativa da Secretaria de Agricultura é que a família Nunes tenha uma produção de pouco mais de duas toneladas de pescado.

“Esse aqui foi o primeiro tanque licenciado de Barcarena”, informou o engenheiro de pesca Renato Eymar, que atualmente coordena o Departamento de Aquicultura da Semagri. Com o licenciamento emitido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, seu Aldo vai ter direito à comercialização do peixe para feiras e supermercados da cidade, além de exportar para outros municípios, com aval da Adepará.

A piscicultura é uma novidade na vida de Regina e Aldo. É um projeto que vai se somar a outras experiências agrícolas, uma vez que o casal, no passado, já cuidou de aves e hoje tem dezenas de árvores frutíferas para cultivar na propriedade. A ideia é que, em breve, a família cultive hortaliças também. “Nosso projeto é de dez estufas”, disse Aldo Nunes. “A nossa vontade, desde que me aposentei, era trabalhar com a terra.”

ASSISTÊNCIA TÉCNICA – A Secretaria de Agricultura da prefeitura de Barcarena é parceira das iniciativas da família Nunes e de todos os pequenos agricultores interessados no desenvolvimento da produção agrícola. De acordo com o engenheiro de pesca Renato Eymar, a prefeitura pode oferecer assistência, por meio da atividade de técnicos qualificados para atuar em várias frentes de trabalho “do início ou final da produção”.

Sobre os projetos na área da criação de peixe em cativeiro, Renato explicou que os produtores precisam se adequar às normais ambientais para exercer a atividade. “A gente está tendo o cuidado de não ferir a legislação”, disse ele. Por isso, é necessário que o produtor tenha a licença ambiental rural para atuar. Na Semagri, os interessados podem obter informações sobre a emissão do documento.


O sítio Presente de Deus é um terreno cheio de dádivas naturais. Lá tem cupuaçu, graviola, banana, castanha, açaí, uxi, piquiá, entre outras delicias, que se transformam em bolos e sucos, como os que foram servidos por dona Regina aos visitantes da Semagri. O filho Jaziel colabora com os pais nos projetos do presente e do futuro. Depois do peixe em cativeiro, a família pensa em voltar a criar frangos. “Se aprovado, é isso que a gente quer”, disse Aldo.