ESTUDANTES DE BARCARENA ACUMULAM VITÓRIAS NOS JOGOS PARALÍMPICOS


ESTUDANTES DE BARCARENA ACUMULAM VITÓRIAS NOS JOGOS PARALÍMPICOS
ESTUDANTES DE BARCARENA ACUMULAM VITÓRIAS NOS JOGOS PARALÍMPICOS

Um grupo de 19 estudantes de 10 escolas municipais de Barcarena ganhou 42 medalhas na etapa estadual dos Jogos Paralímpicos realizada em Belém. Outros dois alunos de escolas estaduais do município também participaram do evento. Os atletas trouxeram para casa 30 medalhas de ouro, 7 de prata e 5 de bronze. Foi um resultado comemorado pela Secretaria Municipal de Educação, que é a responsável pelo treinamento dos atletas. Os estudantes barcarenenses enfrentaram as provas de bocha, atletismo e natação. Da piscina, veio o maior número de medalhas.

Um dos atletas que caiu na água e saiu vitorioso foi o estudante Thiago Morais Silva, de 13 anos. Das 30 medalhas de ouro conquistadas pela turma do município, 4 são dele. “Estou muito feliz”, disse Thiago, que foi o melhor nos 50 metros dos nados crawl, costa, peito e revezamento. A família está orgulhosa do desempenho do adolescente. “Era o sonho dele”, afirmou Aline Silva, mãe de Thiago. “Ele tem muita força de vontade de prosseguir”. Thiago foi influenciado pelo irmão João Paulo, que também é atleta paralímpico e treina com os professores da Semed.

O gosto pela natação vem de berço. Thiago passou a infância na Ilha das Onças, em uma comunidade ribeirinha, onde o rio é a rua dos moradores. Foi lá também que ele teve paralisia infantil e passou a andar de cadeira de rodas. Hoje ele mora com os pais no conjunto residencial São Francisco, em Barcarena-Sede. A deficiência física não foi nenhum empecilho para ele desenvolver o talento para o esporte. Aluno da escola municipal Checralla Kayat, o menino da ilha quer ir além e superar novos desafios. Depois da natação, ele pretende encarar o atletismo.

Barcarena começou a participar dos jogos paralímpicos no estado há quatro anos. Atualmente, uma equipe formada por cinco professores é responsável pela preparação dos estudantes. “Eles treinam três vezes por semana, com duas horas de treino”, explicou a professora Magda Cardoso Costa, coordenadora de Educação Física da Secretaria Municipal de Educação e treinadora da natação. O trabalho dos profissionais da Semed é reconhecido pelos pais dos alunos. “Fico superfeliz porque eles estão treinando. Isso é muito bom”, disse Aline Silva, mãe de Thiago.      

A estudante Andressa Pinheiro, aluna da escola municipal Laurival Magno Cunha, tem déficit de atenção e é outra atleta que vem conquistando medalhas nos jogos paralímpicos. Foram 4 de ouro na etapa estadual de Belém. A menina foi vitoriosa nos nados crawl, costa, peito e revezamento. Agora Andressa está curtindo as férias em casa, na comunidade Boa Vista, distrito do Murucupi, mas não vê a hora de retomar as atividades físicas. “Às vezes, quando fico em casa e não tenho treino, dá uma vontade de nadar”, disse ela, que sonha em ser uma grande profissional.

A mãe é a grande incentivadora de Andressa. “Às vezes, ela fica falando: ‘mãe será que eu vou conseguir’. Eu digo: ‘minha filha, só você indo para saber se é capaz ou não’. A gente espera um futuro melhor para ela”, afirmou a mãe Andreia Pinheiro, que sempre ouve a filha falar: “Um dia eu quero chegar lá Igual, ganhar lá nas olimpíadas”. O sonho da menina que deixou a família maravilhada. Andreia é grata aos professores que perceberam o potencial da filha e cuidaram para que ela voe mais longe. E o futuro? “Só Deus sabe. Vamos ver o que vai acontecer”, disse Andressa.