PLANEJAMENTO FAMILIAR CRESCE EM BARCARENA


PLANEJAMENTO FAMILIAR CRESCE EM BARCARENA
PLANEJAMENTO FAMILIAR CRESCE EM BARCARENA

Planejamento familiar é um conjunto de ações que auxiliam o casal a esquematizar a chegada dos filhos e, também, prevenir gravidez indesejada. Foi criado pelo Ministério da Saúde no ano de 1996 e é realizado a partir da procura, pelo casal, a Unidade Básica de Saúde mais próxima de casa a fim de agendar uma consulta. Para 2018, as ações de planejamento familiar serão incrementadas pela Prefeitura de Barcarena, por meio da Secretaria de Saúde (Semusb), com o objetivo de reduzir os índices de gravidez indesejada.

Na UBS, é o enfermeiro quem vai fornecer todas as orientações necessárias para a realização de um planejamento adequado. “As pessoas acham que para buscar o atendimento basta escolher o tipo de medicamento para prevenir a gravidez indesejada, mas o planejamento familiar vai além disso. Se for mulher, vários exames serão solicitados, dentre eles os hormonais e o beta HCG”, diz a enfermeira Amanda Negrão, coordenadora de Saúde da Mulher e da Criança da Semusb.

A mulher não pode estar grávida na ocasião do atendimento para poder ser inserida no planejamento familiar. Ao retornar com os resultados, ela é encaminhada ao médico, uma vez que a consulta já estaria agendada. O médico, então, faz a análise dos exames e a partir disso, cadastra a mulher no planejamento familiar, que passa a ter direito aos preservativos masculino e feminino, bem como a todos os demais métodos anticoncepcionais, como DIU, injetáveis ou orais, e a pílula do dia seguinte.

A enfermeira Amanda informa que a pílula do Dia D é encontrada nas unidades de urgência, sendo mais indicado para mulheres que são violentadas. Porém, a mulher que faz parte do planejamento familiar, mas esqueceu de tomar o remédio, também tem direito ao medicamento.

Anticoncepcionais e preservativos – A maioria das mulheres acha que basta o uso do anticoncepcional quando das relações sexuais. Porém, o anticoncepcional nada mais é do que a prevenção da gravidez indesejada, o que, por outro lado, difere da prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Nesse caso, o preservativo é o único método de se prevenir doenças.

“O planejamento familiar não é só para quem é casado. Agir através das equipes e Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) faz parte da programação da Semusb, que mostra a existência desse programa”, explica a coordenadora.

Semusb incentiva debate do tema nas escolas:

O planejamento familiar é um direito da comunidade junto a saúde pública. O trabalho de conscientização está sendo projetado pela Semusb para ser inserido também nas escolas a partir de 2018, uma vez que o adolescente está sujeito a relações sexuais muito mais jovem devido a uma série de fatores que estão influenciando o ato precoce. “Por isso precisamos atuar mais nas escolas, pois assim é possível fazer a prevenção da gravidez indesejada”, avalia Amanda Negrão.

Segundo ela, a atuação nas escolas ainda sofre certas barreiras. “Quando falamos de planejamento familiar nas escolas, observamos a rejeição dos pais, pois eles acabam acreditando que se falarmos na escola sobre preservativo, estaremos induzindo a relação sexual, quando na verdade estamos apenas orientando, pois é fato que esses alunos estão na puberdade e não há como interferir nisso”, conclui. Mais do que escolher o método de prevenção, o planejamento familiar significa contribuir para a saúde e o bem-estar dos entes da família.