PREFEITURA INICIA 2018 COM A AMPLIAÇÃO E REFORMA DE 16 ESCOLAS


PREFEITURA INICIA 2018 COM A AMPLIAÇÃO E REFORMA DE 16 ESCOLAS
PREFEITURA INICIA 2018 COM A AMPLIAÇÃO E REFORMA DE 16 ESCOLAS

A Prefeitura de Barcarena vai iniciar 2018 com obras de ampliação e reforma de 16 escolas municipais nas ilhas e área rural. Mais de 6 milhões de reais serão investidos na execução dos projetos, que terão previsão de 120 dias para serem concluídos. É a prefeitura possibilitando mais infraestrutura e ensino de qualidade para as comunidades.

Na manhã desta terça-feira (26) foi realizada a licitação, na modalidade concorrência e espécie menor preço, para o desempenho dos serviços de engenharia das 16 escolas, sendo sete com trapiche. Desse total, 10 serão reformadas em localidades como Arapari, rio Araguaia e comunidade Jacarequara, e seis serão ampliadas nas ilhas e na zona rural. A verba inicialmente destinada pela prefeitura é de R$ 6,2 milhões, de acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Semdur).

Para a concorrência, 15 empresas, sendo 13 locais e duas de Belém, participaram do credenciamento. Segundo Christian Barreto, Analista de Orçamento da Semdur, o processo de concorrência se divide nas etapas credenciamento, habilitação e abertura da proposta comercial com os valores. “Na habilitação, as empresas participantes se mostraram aptas com qualificação técnica. Esse é o filtro para poder chegar a proposta comercial, ocasião em que se avalia preço, qualidade técnica de atender ao objeto da licitação e idoneidade”, explica.

Para a licitação, a Semdur enviou uma equipe de técnicos para realizar a análise comercial das propostas por meio da Comissão Permanente de Licitações da Secretaria, destinando um corpo técnico para fazer a análise da habilitação e credenciamento, otimizando, assim, a abertura das propostas. O contrato será fechado até o próximo dia 30.

Calendário escolar – De acordo com o Analista da Semdur, os projetos foram idealizados unindo a adequação do ambiente escolar com o início do ano letivo. “Isso não vai atrasar o início das aulas porque a estratégia é melhorar a qualidade de ensino dos alunos sem prejudicar o ano letivo. O projeto foi planejado justamente para isso”, concluiu.