SITUAÇÕES DE RUA PODEM SER ALERTADOS À ÓRGÃO DA PREFEITURA


SITUAÇÕES DE RUA PODEM SER ALERTADOS À ÓRGÃO DA PREFEITURA
SITUAÇÕES DE RUA PODEM SER ALERTADOS À ÓRGÃO DA PREFEITURA

A população em situação de rua do município de Barcarena tem atendimento direcionado. É o serviço de Abordagem Social. Você conhece?
Ativo desde 2009, o serviço é dirigido pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social - Creas, e executado também para ocorrências de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes entre outras situações de risco e violações de direitos.
Construir o processo de saídas das ruas e possibilitar condições de acesso à rede de serviços e a benefícios assistenciais e promover ações para a reinserção familiar e comunitária estão entre os objetivos do serviço especializado.

A Coordenadora do Creas, Simone Macedo, conta que ao identificar casos situações de rua, a equipe de abordagem, formada por um Psicólogo, uma Assistente Social e um Pedagogo, presta atendimento às necessidades imediatas, com acolhimento e encaminhamento para serviços de saúde, educação e cidadania. “Caso o usuário não tenha referência familiar e queira sair da situação de rua ou então tenha família negligente e sofra maus tratos, encaminhamos para os abrigos”, esclarece.

O serviço atua de forma programada e continuada, de acordo mapeamento, mas também atendendo denúncias através do telefone 99276-7664. Semanalmente o Creas observa todo o território em que compreende as áreas de grande circulação. Segundo Simone, espera-se continuar trabalhando de forma sistemática em 2018, de forma a eliminar os casos. “Observamos que, constantemente, temos no município um público novo e uma parte desta população que está em situação de rua ou transitando por nossa cidade é migrante de outros municípios e estados”, explica.

A abordagem leva em consideração o direito de escolha do cidadão, e as etapas do processo ocorrem cautelosamente, de acordo com o interesse do assistido. Simone lembra que o Creas não atua sozinho e que mantém interlocução direta com os demais órgãos do Sistema de Garantia, especialmente os chamados órgãos de defesa de direitos, como por exemplo: Conselhos Tutelares; Defensoria Pública; Poder Judiciário; ministério Público; serviços de assessoramento jurídico e assistência judiciária; oNGs que atuam com defesa de direitos; entre outros.

Em 2017 o Creas acompanhou 32 casos através da Abordagem Social. Do total, 5 foram encaminhados para os abrigos e desligados em seguida. Desses, o maior período de estadia foi de 34 dias.