SIMPÓSIO: PROFISSIONAIS REUNIDOS PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES


SIMPÓSIO: PROFISSIONAIS REUNIDOS PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
SIMPÓSIO: PROFISSIONAIS REUNIDOS PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

As crianças e adolescentes foram protagonistas de suas próprias histórias na manhã desta quinta-feira (09), terceiro dia do Simpósio Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, em Vila dos Cabanos.

Com o tema “Trabalho Infantil uma realidade a ser enfrentada diurtunamente”, um time de peso impactou o público com debates empoderados desmitificando a frase clichê “melhor trabalhar do que roubar”. “Se alguém aqui pensa dessa forma é melhor sair”, desafiou o adolescente Felipe Caetano, 16 anos, mediador do painel.

A Desembargadora Maria Zuíla trouxe para o centro de debates as cruéis consequências do trabalho infantil, com dados estatísticos e imagens que sensibilizaram o público. “Minha fala é apenas de gratidão por tudo o que eu ouvi hoje. Me marcou muito essa força que vocês têm em Barcarena com uma rede de proteção que realmente funciona e tantos projetos de cuidado com a infância e a adolescência”, desabafou Janilda Carvalho, Coordenadora da Vigilância Estadual de Violências de Porto Velho.

Segundo os dados apresentados, o Pará está no topo de casos de trabalho precoce. “Barcarena está sendo agraciada em poder debater esse tema aqui”, comentou a drª Zuíla. Na roda de conversa o Procurador do estado do Ceará, drº Antônio Lima e a juíza do Tribunal Regional do Trabalho, drª Vanilza Malcher, enriqueceram o debate com exemplos efetivos de combate ao Trabalho Infantil como o Rede Peteca, projeto social que articula, engaja e dissemina informações sobre o tema. A jovem Beatriz Martins, de 18 anos, militante na área também compôs o time contando sua trajetória e trabalho com o projeto social “Olhar de Bia” que existe há 12 anos.

Passaram pelo palco do Simpósio ainda a cantora infantil Emmyli Vitória, da congregação Rosa de Saron e os meninos e meninas do projeto Canção Tocada.
A programação segue com os minicursos , de 14h às 17h e a noite, a partir das 19h, os participantes do evento vão participar de uma noite cultural com artistas da terra, incluindo as crianças e adolescentes do projeto Batuqueiros e Tocando a Vida com Cidadania.