ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO DA VILA DOS CABANOS INICIARÁ OPERAÇÃO NESTE SEMESTRE


ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO DA VILA DOS CABANOS INICIARÁ OPERAÇÃO NESTE SEMESTRE
ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO DA VILA DOS CABANOS INICIARÁ OPERAÇÃO NESTE SEMESTRE

A Estação de Tratamento de Esgoto da Vila dos Cabanos (ETE Cabanos) entrará em operação ainda neste primeiro semestre, após a conclusão das obras de implantação determinadas pela prefeitura de Barcarena e realizadas pela Águas de São Francisco, concessionária de água e esgoto do município. A primeira etapa, já finalizada, segue em fase de teste e atenderá, aproximadamente, 4,4 mil moradores da Vila dos Cabanos.

O investimento garantirá saneamento básico e preservação ambiental para o município, além de valorização imobiliária, produtividade no trabalho e rendimento escolar. “Quando se fala de esgotamento sanitário estamos falando de melhoria de qualidade de vida, de hospitais menos lotados, de valorização de imóveis e mais saúde para a população”, comentou o diretor presidente da concessionária, José Benedito da Silva Braga Filho.

Ocupando uma área de 1.800 m², às margens do Rio Murucupi, a primeira etapa da Estação de Tratamento de Esgoto Vila dos Cabanos tem capacidade para tratar até 18 mil litros de dejetos por hora. "Essa estação é importante porque representa saúde e qualidade de vida para as pessoas. Vai impactar na saúde, na educação e na economia do município”, destacou o prefeito Paulo Alcântara.

A segunda etapa, que será concluída até o início de 2021, ampliará a cobertura de esgotamento sanitário para 14 mil barcarenenses. “Trabalharemos na execução de mais duas elevatórias de esgoto na Vila dos Cabanos e a operação total da rede existente. Posteriormente, haverá a coleta, o transporte e o tratamento do esgoto para os demais bairros”, explica o Coordenador de Operações Fernando Teles.
Tratamento - O tratamento da ETE Cabanos é biológico anaeróbio, utilizando bactérias para digestão da matéria orgânica. O processo tem cinco etapas:

- Tratamento preliminar: realizado com grade e caixa de areia para remoção de sólidos grosseiros e partículas de areia;
- Elevatória de esgoto bruto: bombas elevam o nível hidráulico, que segue por gravidade nas demais unidades;
- Tratamento biológico anaeróbio com reator UASB: as bactérias irão consumir a matéria orgânica presente, convertendo parte dessa em gás carbônico, metano, água e lodo. Ainda nesta etapa, no tanque Inhoff, será realizado o aprimoramento do tratamento do efluente, com a remoção de sólidos presentes;
- Calha parshall: onde é realizada a medição de vazão;
- Emissário final: o efluente tratado segue para rio Murucupi.

Ações paralelas - A concessionária tem realizado desobstrução da rede de esgoto existente, além de levantamento topográfico e substituição de rede quando identificada a necessidade, e mapeamento dos pontos de visita usados nas manutenções.

O cadastro dos moradores da região contemplada é realizado pessoalmente, em ação porta a porta. Na oportunidade, são fornecidas orientações como:
- A implantação de rede coletora de esgoto é de responsabilidade da concessionária. Já a implantação e manutenção das instalações internas são de responsabilidade do usuário.
- Após conectado à rede de esgotamento, existe a necessidade de a fechar a fossa séptica. As mesmas são consideradas um risco a saúde humana e ao meio ambiente.
- A legislação prevê cobrança pelo serviço de esgotamento sanitário mesmo que o usuário não faça a conexão.